Velocidade do coração

Passo por ali, olho e recordo tudo o que vivemos, não sei se será fanatismo mas é incrível que foram poucos momentos mas únicos, quando o teu olhar se fixava no meu… Quando me davas a mão, como quando o meu batimento cardíaco acelerava á medida que me beijavas intensamente, como quando cantavas ao meu ouvido…
Na minha cabeça e á minha velocidade, tive que acabar com estas recordações! Tive que seguir o meu trajecto. O meu coração grita para ficar, mas a minha mente se impõem para seguir.
Cai na tentação de voltar aquele lugar, algo me empurrava naquela direcção e fui. Estava frio mas ao mesmo tempo a noite me quis dizer algo que eu não estivesse a entender, quis-me dar respostas e não desisti.
Eu aproximei-me e sentei-me naquele lugar, olhei e respirei fundo. Me perguntei: “que estou eu a fazer?”.
Olhei para o lado e um vazio se instalou-se no meu coração, tu não estavas lá. Cai em mim e descobri, que mais uma vez errei.
Tudo poderia resultar se não fosse as minhas inseguranças, os meus medos ou ate mesmo os meus anseios. Dava um passo á frente e em seguida dava dois atrás, parecia castigo resistir á tentação de falar contigo, sentia-me fraca de não me ter justificado.
Perguntas como eu estou, eu respondo apenas “estou bem”, enquanto estar longe de ti é horrível.
Eu nunca fui fraca, sempre tive coragem e isto será apenas um contratempo na minha vida e sei que o tempo irá ajudar a sarar o que é mútuo.

Mensagens populares deste blogue

Permanência do Silêncio